quarta-feira, julho 11, 2007

Ou te calas ou processo-te!


Este parece ser o novo lema da vida pública portuguesa.

Pelo Puro Arábica fui conduzido ao InApto para ficar a saber que o Portugal Profundo não é o único blogue a contas com a justiça por aquilo que vai comentando, opinando ou denunciando de atropelos na esfera pública nacional.

Desta vez a queixa relaciona-se com denúncias feitas pelo jornal Voz das Beiras sobre diversos factos envolvendo a nova directora do Museu Grão Vasco.

O Jornal denuncia factos que, a serem verdadeiros, são de manifesto interesse público e opina sobre os mesmos, o que, se não é jornalismo neutro (?), é o exercício dum direito constitucional.
Também exercendo o seu direito constitucional gente houve que, sentindo-se lesada, se terá queixado judicialmente, sendo certo (opinião minha) que mais valia ter usado o mesmo meio de comunicação para repor a verdade dos factos tal como a entende.
Já não me parece certa a opção do(s) denunciado(s) de se recusar(em) a prestar(em) declarações à PJ, já que é uma obrigação do cidadão colaborar com a Justiça no apuramento da verdade dos factos. Não significando isso que se chegue à violação do segredo das fontes.
Em abstracto e sem qualquer pensamento na situação em causa, a liberdade de expressão na blogosfera não pode deixar de regular-se pela mesma lei e pelos mesmos princípios gerais por que se regula a sociedade portuguesa. A única diferença é que à blogosfera chegam agora aqueles que antes estavam arredados da comunicação de massas, e isso incomoda muita gente.


Última revisão: 12-7-2007 1:38

5 comentários:

João Rato disse...

Retenho a última frase do teu texto e acrescento, aceitando o exagero que possa cometer pela exaltação do momento: a blogosfera está assumir-se como a forma mais popular de dar voz à democracia!
"... e isso incomoda muita gente."

é sempre bom passar o rato passar pela Arte de Roubar

looking4good disse...

Parece-me (a ver pelos links indicados) que esse assunto já tem quase dois anos. Há desenvolvimentos novos?

Metralhinha disse...

Dois anos para a Justiça Portuguesa é «tempo recente».
De acordo com a imagem publicada, o novo desenvolvimento é a notificação da PJ para o Director da «Voz das Beiras» ir prestar declarações no âmbito do processo no próximo 3-7-2007.

MARIA disse...

Caro Metralhinha,
Como é evidente , este tema é actualíssimo. Quando o Presidente da República , num Estado dito de direito e democrático, já se sente na obrigação de aludir ao mesmo, algo vai claramente mal e não somos nós apenas a vê-lo ...
O que certamente queria dizer o nosso ilustre comentador que o antecede é que " isto é coisa de outros tempos" e aí já se percebe...
A minha esperança é que os Tribunais funcionem e ditem o direito... quem sabe o feitiço não se vira contra o feiticeiro...
(Xi, exagerei nas ...)
Beijinhos, extentivos aos demais "artistas".

Anónimo disse...

O que é feito do autor do Inapto, alguém sabe do Zé Correia?

maria-alves@iol.pt