segunda-feira, novembro 12, 2007

Vozes de burro

Gabriel Drumond, deputado do PSD à assembleia regional da Madeira, numa tirada digna de compêndio de imbecilidades afirmou que se a República não se vergar à sua chantagem o parlamento regional deverá proclamar a independência.

Sendo eu mais democrata que qualquer um dos dirigentes madeirenses e um acérrimo defensor da democracia directa, proponho um referendo imediato da questão. Mas quero um referendo nacional, não se vá correr o risco dalgum dos pobres degredados naquele escolho atlântico querer continuar a ser português e a ter tais caciques a envergonharem-nos constantemente.


(Foto DN)

4 comentários:

Anónimo disse...

Por várias vezes, e em vários blogs, já sugeri que se avance, já , com uma recolha de assinaturas com vista a que a questão da independência da Madeira possa ser discutida na A.R.e eventualmente referendada.
Ajudarei no que me foprpossível.
Ainda não encontrei ninguém que não seja claramente a favor de se lhes dar a independencia e acabar com a "mama".
Né "tudoanorte"

Espectadora Atenta disse...

Caro Metralhinha
Eu apoio! Incondicionalmente!
Venha já o referendo e que se dê a independência imediatamente...

blogador disse...

É uma falsa questão. Os dirigentes madeirenses não querem independência, querem subsídio-dependência, como aliás a mairia das autarquias e empresas nacionais.
O Alberto João não é parvo nenhum e sabe como funcionam os "lóbis" políticos e económicos no continente e também quer o seu "quinhão".
A "história" da independência é uma "arma de tiro com pólvora seca" utilizada pelos dirigentes da Madeira, sempre que pretendem apoio popular para as reivindicações ao poder de Lisboa.

Pata Negra disse...

A Madeira tornar-se independente da República parece-me muito, mas que já é tempo da República se tornar independente de Madeira, ai isso sim!